Notícias

Raça, Suor e Determinação

Sacudir a poeira e dar a volta por cima. É com esse espírito de recomeço que a equipe de futebol da Manaus Previdência volta a entrar em campo nesta terça-feira, 16/07, contra o time da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semmacc), na modalidade Futsal. No domingo, 14/07, o time não conseguiu superar a forte retranca da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) na modalidade Society e perdeu por 6 x 4 no campo Guerreirinhos, no Parque das Laranjeiras, na estreia da 8ª edição dos Jogos dos Servidores, da Prefeitura de Manaus.

Experiente, o técnico Américo Filho afirmou que muitos fatores contribuíram para o resultado adverso, mas o maior de todos, com certeza, havia sido o forte calor no horário do jogo. “Marcaram a partida para o meio-dia e isso mata o jogador na unha”, reclamou.

Na hora do jogo, os termômetros marcavam 39°, com sensação térmica de 52°. Outro agravante foi que por ter sido na hora do almoço, os jogadores só puderam se alimentar uma hora antes da partida com um frugal lanche. E conforme um jogador que pediu para não ter o nome revelado, parecia que só fazia sol no lado do campo da previdência. “E não tem nem um vendedor de dim-dim”, lamentou.

A torcida previdenciária presente também sentiu a alta temperatura e esboçou um protesto junto à comissão técnica da partida. Mas, desistiu do ato quando percebeu que teria de deixar a sombra de um abacateiro para levar aos árbitros a sua reivindicação, correndo o risco de ter o espaço ocupado por terceiros.

O JOGO

Em busca de um resultado positivo e tentando pressionar o adversário no seu próprio campo, o técnico Américo começou o jogo com uma formação ofensiva: na frente, Rafael Lauria e Itamar. O meio de campo ficou com Josielson e Reinan e na zaga, Rafael Aleson e Anadilson, ficando Adriano com a responsabilidade de proteger o gol. O banco era formado por Lucas Batalha, Lucas Góis, Luan Moreira, Fernando Krichanã, Thiago Freitas e Raimundo Abacaxi.

Com equilíbrio de ambos lados, as equipes tentavam toques rápidos para chegar à área adversária. Sem conseguir chegar perto do gol previdenciário, o jogador Paulo, da Seminf, arrisca um chute cruzado da intermediária e abre o placar: Seminf 1 x 0 Manaus Previdência.

Sem de deixar intimidar, a Manaus Previdência se lançou ao ataque e aos gritos do banco de reserva que “estava zero a zero” , aterrorizou a zaga adversária. Mas, numa roubada de bola, Douglas fez o segundo gol.

Jogo pegado e corrido, os jogadores começaram a demonstrar cansaço, levando o técnico Américo Filho a fazer as primeiras substituições. Saiu Rafael Aleson para entrada de Raimundo. Para animar os companheiros em campo, o banco da Manaus Previdência gritava que o jogo estava em 1 x 0, estimulando os jogadores a buscarem os gols necessários para o empate a a virada do placar.

A estratégia deu certo. De um bate-rebate perto da linha de corner  à esquerda do gol da Seminf, Raimundo chutou cruzado: Seminf 2 x 1 Manaus Previdência.

Sentindo o bom momento do time, o técnico Américo reforçou o meio de campo, sacando Josielson e colocando Thiago Freitas. No gol, Adriano passou a lançar a bola diretamente na área adversária.

Sem conseguir sucesso nas bolas aéreas, o time da Seminf passou a investir nas jogadas a meia altura. Em uma dessas jogadas, o jogador Alan, da Seminf, aos oito minutos, tentou uma meia bicicleta. Mas, com a rapidez de um papalégua, o goleiro Adriano impediu  a conclusão do lance.

Mas, dois minutos depois, Douglas voltou a chutar da intermediária, fazendo 3 x 1. Para demonstrar força, o time da Manaus Previdência avançou em bloco, fazendo com que a Seminf cometesse a sexta falta, sendo punida com tiro livre. Anadilson foi o encarregado da cobrança e com firmeza, mandou a bola para o fundo da rede: 3 x 2.

Recomeço de partida com ambos os times procurando o gol. Num lance de maestria e categoria, Rafael Lauria se lança em direção à área adversária e é parado com falta. Chateado, deu uma dura no adversário. “Data venia, há ampla jurisprudência que comprova a contravenção do vosso ato”.

Pênalti para a Manaus Previdência. Anadilson se apresenta para bater e com categoria desloca o goleiro, que saltou sem direção, desajeitadamente, totalmente perdido…conseguindo desviar a bola com a ponta da unha.

Fim do primeiro tempo com o placar de 3 x 2 para a Seminf.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Américo avançou Anadilson para frente e promoveu a entrada da Lucas Batalha, que na chegada junto aos adversários, justificou a origem do seu sobrenome.

Com sangue nos olhos e o nível de testosterona mais alto que as taxas de juros, a equipe previdenciária partiu para cima da Seminf e após um cruzamento de Raimundo Abacaxi, Anadilson faz um voleio e empata o jogo em 3 x 3. A torcida previdenciária foi ao delírio e aos gritos de “o campeão voltou, o campeão voltouuuu”, iniciou uma ola em toda a extensão da sombra do abacateiro.

Recomeço de partida, em novo contra-ataque da Seminf e o jogador Douglas avança pela direita do goleiro Adriano e chuta fazendo balançar a rede…pelo lado de fora, arrancando um “Uhhhhh!!!!” da torcida previdenciária.

A Manaus Previdência respondeu avançando, e num toque a mais de Anadilson, a zaga da Seminf arregaça, chutando e lançando a bola pela linha de fundo.

O desempate só viria depois de uma série de bate e rebate na zaga previdenciária, onde o goleiro Adriano usou todas as suas sete vidas de gato para defender os petardos, mas, por último, Dorval consegue empurrar a bola para dentro do gol: 4 x 3.

Apesar do placar adverso, a superioridade previdenciária era visível e Anadilson, mais um vez, chuta fortemente do centro do gramado, acertando a trave superior do gol adversário. No lance seguinte, a Manaus Previdência impede mais um ataque, com Raimundo Abacaxi fazendo falta, sendo punido com exclusão da partida por dois minutos. Em seu lugar, o técnico Américo promove a entrada de  Luan Moreira. Em um shoot out (tiro livre) contra a Manaus Previdência, o atleta Cláudio faz 5 x 3, dando três toques na bola. Após reclamação do banco da previdência, o juiz explicou que o número de toques não importa, valendo o tempo de cinco segundos que o jogador dispõe para movimentar a bola à vontade até o chute. A explicação levou os jogadores a cogitarem um estudo mais aprofundado das regras do society para ser aplicado na próxima partida.

Analisando que calma não levaria a lugar nenhum, o fleumático jogador Luan surpreende a zaga adversária e, do meio campo, acerta um chute certeiro, mexendo novamente no placar: 5 x 4. O gol reacendeu o ânimo da torcida previdenciária, que acionou todas as vuvuzelas guardadas desde a Copa de 2010, fazendo um barulho ensurdecedor.

Embalados, o time previdenciário tocou incessamente a bola: Luan para Thiago, que devolveu a Reinan, que lançou a Krichanã, que passou a Raimundo e….gol da Seminf!

“Até a metade do segundo tempo estava bom o jogo para nós, mas o cansaço da equipe foi maior que o poder de reação”, analisou Américo Filho, que poupou o goleador Lucas Góis para o próximo jogo.

_ _

Ascom – Manaus Previdência

Texto: Marcia Claudia Senna / Manaus Previdência

Notícias relacionadas